Entrevista com o Escritor Gustavo Lopes

A Equipe THS entrevistou o Escritor e membro de uma das maiores comunidades de "escritores fantásticos e malditos" apaixonados por THS do Brasil, a MALDOHORROR, Gustavo Lopes. Nesse bate papo conversamos bastante sobre projetos futuros, sobre seu Primeiro livro, O inominável (Livro que tive o prazer de ler e em breve posto a resenha pra vcs! Desde já super indico viu! rsrsr). Então vamos conhecer um pouco mais sobre essa promessa pra literatura de terror, horror e suspense do Brasil.




Nascido em 1989, em Suzano - SP, trabalho, estudo, vivo e me divido entre centenas de coisas, mas minha verdadeira paixão é a escrita. Tenho um blog de estimação onde escrevo sobre música e meus projetos inacabados. Leio quando posso e escrevo o quanto possível, sobre realidades distorcidas e talvez horrendas, que nem sempre têm um final feliz, mas que devem ser contadas. Meu primeiro livro, O Inominável, foi publicado em 2017 e está disponível gratuitamente nas plataformas Wattpad e Luvbook.


Equipe THS
: Como foi o seu primeiro contato com a literatura? E por que terror?
Gustavo: Meu primeiro contato com a literatura foi na escola. Eu gostava mais de histórias em quadrinhos naquela época e os livros das aulas de literatura não me agradavam. Mais tarde encontrei Stephen King e A Espera de um Milagre. A narrativa me encantou, eu comecei e terminei no mesmo dia. Passei a ler um pouco de tudo, mas foi no terror que encontrei as histórias que me impressionaram e alimentaram a minha vontade de escrever.


Equipe THS:  Por que acha que as pessoas deveriam ler o seu livro? Qual o diferencial?
Gustavo: O Inominável é uma leitura rápida e fluida, um relato para se ler em poucas horas. É uma história baseada em fatos, adequados para o universo que criei. Aborda assuntos nostálgicos para quem já saiu da escola e atuais para os que ainda estudam.
Aos amantes de um bom rock, reservo algumas referências especiais.


Equipe THS: Como você enxerga o mercado nacional literário, principalmente no que diz respeito ao cenário do terror/horror? E qual dica você dá a quem está começando a escrever.
Gustavo: O mercado nacional carece de força. Vivemos um momento em que a fantasia e o terror são elementos-chave para os grandes sucessos do cinema e da televisão, entretanto, o consumo de gêneros fantásticos na literatura ainda é baixo no Brasil, apesar da aceitação geral destes gêneros ser maior que há dez anos. O hábito de consumir literatura não faz parte da base da nossa cultura, um problema influenciado por vários fatores, que começam na escola, são agravados pela mídia e terminam no bolso do consumidor. Falta incentivo, exposição, organizações como o exemplo da ABERST, Associação Brasileira de Escritores de Romance policial, Suspense e Terror, recentemente idealizada e em vias de ser estabelecida, com o propósito de unir os escritores destes gêneros, fortalecendo o mercado e a qualidade das produções literárias. Mas hoje, com a internet, mídias sociais, plataformas de publicação digital, são muitas oportunidades. Exigem paciência, persistência e paixão, não apenas por parte dos autores, mas também dos leitores. Como autor e leitor, tenho uma obrigação dupla neste processo, e estou aqui para cumpri-la, e quem está começando precisa ter isso em mente.


Equipe THS: Seus personagens são bem construídos. Você se identifica com algum deles? Se sim, em quais aspectos?
Gustavo: Apesar de fazer o possível para manter certa distância entre a minha personalidade e a dos meus personagens, eu me identifico com todos eles, pelo menos em algum aspecto. Assim como os protagonistas d’O Inominável, eu sofri bullying quando estava na escola, por diversos motivos. Provavelmente tomaria decisões semelhantes às que os personagens tomaram, e sofreria da mesma forma.


Equipe THS: O que mais atrai você quando procura ler algum livro?
Gustavo: A narrativa. Gosto de narrativas fluidas, histórias que se movem, quando as palavras têm um andamento musical, e quando percebo, já li algumas dezenas de páginas. Não me importo tanto com gênero, apesar de gostar de histórias mais sombrias e pender sempre para o terror ou fantasia. É sempre um prazer e um ótimo aprendizado ler livros bem escritos.

Equipe THS: Sobre o seu livro, O Inominável, nos conte um pouco sobre ele, criação, sinopse...
Gustavo: O Inominável surgiu de uma sinopse que escrevi para um concurso literário. A ideia cresceu rapidamente e em pouco tempo montei o quebra-cabeça. Escrevê-lo foi uma experiência estranha, me colocar na pele de outra pessoa bem diferente e relatar suas memórias exatamente como ela faria, mas eu quis arriscar e experimentar. O livro fala sobre a escuridão que há em nós, sobre bullying e preconceito, um grupo de amigos, um livro com instruções para um ritual aparentemente inofensivo e extremamente tentador, e as consequências de suas escolhas.


Equipe THS: Quais são os seus próximos projetos e lançamentos?
Gustavo: Tenho muitos projetos inacabados, desde romances que estão em revisão até ideias que ainda estão no argumento, e pretendo finalizá-los um a um, no tempo certo. Desde agosto, publico contos mensalmente na Noite do Bardo, blog de contos de autores nacionais, e no Maldohorror, comunidade de escritores fantásticos e malditos. Contos de minha autoria também farão parte das seguintes antologias:
- Mundo Invertido, terror/mistério oitentista, organizada por Stefano Sant'anna (Inverno Negro) e Bruno Godoi (@br.godoi), editora Wish;
- Insanidade, ambientada em um sanatório esquecido no Acre, organizada por Soraya Abuchaim (A Vila dos Pecados) e com prefácio de Cesar Bravo (Ultra Carnem), editora Skull;
- Noite Natalina, histórias de terror natalinas, organizada por Lorhan Rocha (Eu sempre fui azul, lançamento da editora Skull) e com prefácio de Marcos DeBrito (O Escravo de Capela), editora Skull;
- Galáxias Ocultas, ficção científica, organizada por Rô Mierling (Diário de uma Escrava), editora Illuminare;
- Sete Pecados Capitais – Volume II, organizada por Rô Mierling e com uma crônica especial da jornalista Mônica Raouf El Bayeh, cronista do jornal O Globo e do jornal Extra, editora Illuminare;

Links para O Inominável:

Maldohorror: maldohorror.com.br



Comentários

  1. Conheci recentemente e adorei os contos! Tô botando o Inominável já na fila!

    ResponderExcluir
  2. ótima entrevista, bela capa do livro Inominável,já está na lista aqui.

    ResponderExcluir

Postar um comentário